Como é que o teu ciclo gosta de ser acordado?

A forma como a hormona FSH é segregada é um reflexo do nosso estado geral. Esta hormona, pode dizer-nos muito sobre a nossa fertilidade... e não só.

Conheço quem só desperte com um relógio aos berros e quem abra a pestana com o som de uma pena a cair. Acredito, no entanto, que a maioria de nós, se pudesse escolher, preferia ser despertada de uma forma suave mas… não demasiado suave – que nos faça, efetivamente, levantar da cama e enfrentar o dia com um sorriso.

Porque é que estou a falar disto aqui?

Porque o nosso ciclo fértil tem um sistema de despertador bastante eficaz e que se chama FSH (hormona folículo estimulante). A FSH tem um papel fundamental na seleção dos folículos que vão “trabalhar” em cada ciclo mas também é, como o nome indica, que vai estimular o seu crescimento e maturação.
Na verdade é como se tivéssemos um despertador que nos fosse dando palmadinhas ao longo do dia e não nos deixasse “dormir na forma”. 😉

Ora, a FSH é emitida pelo cérebro e é um reflexo do nosso estado geral. Uma análise ao sangue, no 3º dia do ciclo (dia de pico da hormona), pode dizer-nos muito sobre a nossa fertilidade:

FSH elevada, tipo despertador estridente: pode significar que a nossa reserva ovárica está mais condicionada (principalmente se for aliada a uma LH elevada e estradiol baixo) e/ou, simplesmente, que vamos ovular cedo nesse ciclo (nomeadamente se o estradiol estiver bem) e isso não ter propriamente a ver com reserva ovárica comprometida. À medida que os anos vão passando, é natural que o nosso cérebro envie uma mensagem aos ovários para nos proporcionar o máximo de possibilidades de engravidar e isso pode refletir-se em ciclos mais curtos, consequentes de ovulações que se dão cedo (por volta do 9º-12º dia de ciclo).

FSH muito baixa, tipo sussurro: pode ser um sinal de que o nosso organismo está “em esforço” e que podem não estar reunidas as condições para ovular nos próximos dias/semanas. Isso acontece nas situações em que não nos alimentamos o suficiente e/ou estamos a gastar muita energia relativamente à que ingerimos, por exemplo. Neste caso é muito importante avaliar conjuntamente com outras hormonas, como a LH, o estradiol e os androgénios (testosterona, DHEA/S, androstenediona, etc) pois isso vai fazer toda a diferença no diagnóstico. A FSH baixa normalmente está associada a ciclos longos, por vezes anovulatórios e a situações de amenorreia.

Num ciclo específico, uma FSH equilibrada é aquela que, medida ao 3º dia, não ultrapassa os 10 mUI/mL, está associada a bons níveis de estrogénio e a níveis não elevados de LH.

Cada mulher é única. Tu és única.

Se os teus valores de FSH não estão “by the book”, tens à tua frente uma oportunidade de equilibrar o que poderá não estar equilibrado na tua vida.

Se o teu desejo é engravidar e a tua FSH é elevada, lembra-te que é só preciso um óvulo em cada ciclo.
UM.



A informação que consta no presente artigo do blog, é destinada apenas para fins educacionais e nunca substitui o diagnóstico médico.

Share on facebook
Partilha no Facebook
Share on twitter
Partilha no Twitter
Share on linkedin
Partilha no LinkedIn
Share on whatsapp
Partilha no WhatsApp

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.